Adeus a Alberto Ferreira

O presidente do Conselho de Administração do Sicoob Central Crediminas, Alberto Ferreira, faleceu no dia 20 de janeiro, em um acidente de automóvel em Governador Valadares (MG).

Líder cooperativista deixa legado de sucesso

O líder cooperativista, desde cedo se comprometeu a concentrar sua energia, empenho, propósitos e inteligência para desenvolver o cooperativismo mineiro e continuar o trabalho de grandes líderes que o antecederam, aos quais ele sempre se referia com respeito e admiração.

Alberto Ferreira nasceu em berço cooperativista. Ainda em 1911, em Virginópolis, então distrito de Guanhães, foi fundada a Cooperativa Agrícola de Guanhães. Entre seus fundadores estavam seus familiares: avô, bisavô, tios, além de um tetravô.
O pai de Alberto Ferreira, Cantídio Ferreira da Silva, recém-casado, instalou-se em Governador Valadares em 1938, inicialmente como comerciante e, posteriormente, dedicou-se à pecuária. Nesta atividade, desenvolveu legendária atuação, tendo sido em 1959, um dos fundadores da Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce. Por meio do exemplo de liderança séria, justa e dedicada, de seu pai, Alberto Ferreira o tomou como exemplo e seguiu seus passos.

Buscou formação em medicina veterinária e, logo em 1982, elegeu-se conselheiro de Administração da cooperativa agropecuária, exercendo por dois mandatos os cargos de diretor-financeiro e comercial. Desejando alçar voos mais destacados e buscando o desenvolvimento socioeconômico local, agrupou grandes personalidades respeitadas da região para instituir a Cooperativa de Crédito Rural do Vale do Rio Doce, isso em 1992. Desde então, Alberto Ferreira exerceu funções na direção e nos Conselhos da cooperativa, passando a ser diretor-presidente em 2000, quando teve a honra de substituir, o grande líder Luiz de Castro Cortes.

Tão logo instituída, a cooperativa de crédito de Governador Valadares, hoje Sicoob Crediriodoce, filiou-se à então incipiente Cooperativa Central de Crédito Rural de Minas Gerais, o Sicoob Central Crediminas.
Relacionando-se e atuando no cooperativismo de crédito mineiro, em 1993, por indicação de Heli de Oliveira Penido, Alberto Ferreira tornou-se conselheiro e também diretor da Central. Ao longo de sua trajetória cooperativista e relacionamento com entidades e autoridades do cooperativismo, foi convidado a exercer cargos de direção em outros órgãos como Sistema Ocemg, Sicoob Confederação, Bancoob.

Durante sua caminhada profissional de representatividade política, Alberto Ferreira sempre lutou para destacar de forma consistente e positiva a importância do cooperativismo e do produtor mineiro. Sendo assim, ele também integrou por 15 anos, a Diretoria da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais – FAEMG, na época, presidida por Gilman Viana Rodrigues.

Ao atuar em várias frentes e entidades de classe, Alberto Ferreira construiu sua experiência convivendo com renomadas autoridades das áreas econômica, social e política de Minas Gerais. Moldando a sua imagem com perseverança, sabedoria, vanguardismo e sobretudo profissionalismo.

Em seu discurso de posse como presidente do Conselho de Administração do Sicoob Central Crediminas, Alberto Ferreira, agradeceu a um dos amigos de seu pai, que esteve ao seu lado na fundação do Sicoob Crediriodoce, Eurídes Inácio de Lima, a quem ele atribuiu ser uma figura disciplinadora que o auxiliou a abrandar seus ímpetos juvenis, por meio de conselhos, além de orientá-lo a fim de aprimorar sua postura profissional.

Em sua trajetória no Sicoob Central Crediminas, ele sempre reverenciou as personalidades que nortearam o desenvolvimento do Sistema e, sobretudo, das cooperativas filiadas, com seus grandes líderes e inúmeras batalhas que levaram o Sicoob Sistema Crediminas ao centro de destaque do cooperativismo de crédito brasileiro e manteve em toda a sua gestão o Sistema de forma coesa e com a marca da credibilidade e do reconhecimento.

Além das personalidades que se relacionaram e foram companheiras de Alberto Ferreira, ele sempre ele agradecia à sua família. Em seus discursos, nos incontáveis eventos que participou ou que foi anfitrião, ele ressaltava a importância dos seus familiares. À Yasmine e à Isadora, ele sempre agradecia a acolhida amorosa; aos filhos Ludmilla, Ana Carolina e Alberto Cantídio ressaltava o amor e a união em que viviam e à esposa Mara, reconhecia a dedicação e o companheirismo, sempre reafirmando a importância dessa convivência para ser uma pessoa melhor.

                      Alberto Ferreira em frente à sede do Sicoob Central Crediminas, em Belo Horizonte/MG.

 

Líder engajado

Em sua trajetória cooperativista, Alberto Ferreira, vivenciou muitas batalhas e ressaltava que nesta década, o tão esperado futuro do cooperativismo batia à porta. O crescimento pelo segmento tornou-se espetacular, a ponto de ter reconhecimento nacional, por meio não apenas da sociedade, mas de autoridades governamentais e pela conquista de importantes marcos regulatórios. Vitórias de lutas cruciais ao cooperativismo, muitas delas, lideradas pelo seu grande mestre, Heli de Oliveira Penido.

Dentre as conquistas, Alberto Ferreira destacava a Lei Complementar 130, sancionada em abril de 2009, que deu mais visibilidade ao sistema cooperativista de crédito brasileiro e, trouxe em seu bojo, a promessa de alterar definitivamente a maneira como as cooperativas de crédito se posicionam em relação ao mercado financeiro, com novas expectativas de expansão e crescimento.

Outra conquista vista por Alberto Ferreira, foi logo no início de 2018, a Lei Complementar 161, sancionada em janeiro, que autoriza as cooperativas de crédito a captarem recursos de municípios. Aliás, à frente do Conselho de Administração do Sicoob Crediriodoce, o presidente já estava com sua equipe trabalhando para atuar sob esse novo regime, com o objetivo de proporcionar ainda mais progresso à região do Vale do Rio Doce.

 

Líder vanguardista

Alberto Ferreira sempre buscou formação qualificada para conduzir com maestria seus trabalhos e se aperfeiçoar constantemente como liderança cooperativista. Sua gestão foi marcada por incentivo constante à profissionalização das equipes das cooperativas filiadas e de todos os profissionais do Sistema.

Como dirigente de grande destaque no cenário nacional, Alberto Ferreira, constantemente buscava lapidar a sua formação, conhecendo modelos internacionais, ele os classificava como mais maduros por conta de sua origem centenária. Participava ativamente de missões para interagir com os sistemas cooperativistas do Canadá, França, Estados Unidos, Alemanha, Portugal, dentre outros países, sobretudo, os europeus, além de incursões pelo Brasil para aprender e apresentar a outros líderes, novos conceitos e boas práticas no cooperativismo.